Teoria das 5 cores

Ter 5 cores no prato não é tão difícil quanto parece

Essa história de 5 cores no prato começou como uma brincadeira, um jeito de estimular que as crianças comessem melhor. O meu pensamento era simples, criança gosta de tudo colorido: brinquedos, desenhos animados, roupas, joguinhos. Então vamos colorir a comida também.

As cores dos alimentos significam nutrientes diferentes colorindo-o, por exemplo, os alimentos alaranjados são ricos em betacaroteno, que é um precursor da Vitamina A, os verdes escuros, em ferro - nosso aliado no que diz respeito à anemia, os vermelhos em licopeno - nutriente que ajuda a impedir e reparar danos nas nossas céluas e por aí vai. Portanto, a variação de cores no nosso prato significa a variação de nutrientes que trazemos para o nosso organismo. E o nosso organismo adora variá-los. Essa coisa de digerir todos os dias a mesma não tem a menor graça pra ele.

E ter 5 cores no prato não é tão difícil quanto parece. Uma das cores pode vir de algum cereal. Para nós brasileiros o arroz é o mais comum, mas neste mesmo grupo temos: trigo, que inclui as massas, aveia, milho, amaranto, quinoa, triguilho. Outra cor muito fácil de colocar no prato é proveniente do grupo das leguminosas: nosso querido feijão, com todas as suas variações de cores, sabores, tamanhos e formas de preparo. Além dele, também temos: ervilha, lentilha, grão de bico e a soja neste mesmo grupo. No grupo das proteínas encontramos: carne vermelha, aves, ovos, porco, peixe, frutos do mar, cogumelos e castanhas para os vegetarianos. Está vendo? Foi fácil colocar 3 cores, só faltam 2, e o que sobra são opções de cores, sabores, formatos, texturas, preparações e combinações para completar todas com vegetais lindíssimos: alface, tomate, abobrinha, couve-flor, beterraba, brócolis, acelga, cenoura, agrião, etc.

Dica

Coloque à disposição da criança opções para que ela escolha como completar as 5 cores. Coloque na mesa pelo menos 3 vegetais, para que ela escolha 2.

Atenção

Evite ter opções de cereais, leguminosas e proteínas nas refeições, os nutrientes desses grupos não gostam muito de se misturar entre eles. Deu pra entender? Ofereça apenas 1 opção de cereal, 1 opção de leguminosa e 1 opção de proteína. E deixe as escolhas para os vegetais!

Siga-me nas redes